Me lembro do visual “quadriculado” dos games, quando os primeiros títulos em 3D começaram a ser produzidos pelas desenvolvedoras, seja para computadores ou consoles. A quantidade de polígonos era bastante limitada, o que dava aquele aspecto “quadradão” aos games.

Que bom que hoje temos produções de alto investimento, com gráficos cada vez mais realistas, que contam com milhares de polígonos, nos proporcionando um visual incrível, onde a imaginação é o limite.

Porém, ainda que o poder computacional atual dos computadores e consoles consiga gerar uma quantidade absurda de polígonos, não quer dizer necessariamente que você não irá perceber modelos 3D com pequenos “quadrados”, como se as bordas fossem serrilhadas.

Estas bordas serrilhadas, além de serem indesejadas em qualquer game, tornam os elementos gráficos menos nítidos e o aspecto visual feio.

Isto acontece porque as imagens são exibidas por meio de pixels, que se acendem e exibem cores de acordo com impulsos elétricos. Se você se aproximar bastante de uma tela, poderá ver os pixels.

Quando um elemento gráfico arredondado ou diagonal é exibido na tela, podemos nitidamente perceber o serrilhado em suas bordas.

Para “corrigirmos” este serrilhado, temos duas opções. A primeira delas é aumentar a resolução em pixels, fazendo com que mais pixels ocupem o mesmo espaço. E é por esta razão que uma imagem em resolução 4K parece tão nítida.

A outra maneira é utilizar uma tecnologia que está presente em qualquer placa de vídeo. Estamos falando do recurso anti-aliasing (AA), que nada mais é do que uma ilusão óptica que faz com que os elementos visuais pareçam mais nítidos.

Trabalhando com a intensidade das cores das bordas, gerando um efeito degradê mais suave, o anti-aliasing nos dá a impressão de linhas diagonais mais perfeitas.

Existem vários métodos diferentes de se implementar o anti-aliasing, dependendo da fabricante da sua placa de vídeo. Mas os principais métodos são o Multisampling e o Supersampling. A diferença básica entre eles é o custo de processamento.

Este custo de processamento dependerá do nível de anti-aliasing aplicado. Quanto maior é o valor aplicado (4x, 6x, 8x), maior será a quantidade de cálculos em tempo real exigido pelo processador gráfico.

O resultado disto é uma queda brusca de performance e de quadros por segundo exibidos na tela. Ou seja, altos valores de anti-aliasing exigiram placas de vídeo de alta performance.

Através do driver da sua de vídeo, é possível estabelecer o nível de anti-alising a ser aplicado e até mesmo definir valores separados para cada programa ou game.

A grande maioria dos games, conta também com a possibilidade de modificação de anti-aliasing e resolução, dentro da interface do próprio game.

Então se você não possui um monitor 4K, mas possui um computador com uma boa configuração para games, experimente diferentes níveis de anti-aliasing até encontrar o equilíbrio entre a qualidade visual e a performance em quadros por segundo.

Jogar em 30 quadros por segundo ou 60, é uma questão de escolha pessoal. Algumas pessoas preferem uma boa taxa de quadros por segundo em detrimento da qualidade visual. Mas a recíproca também é verdadeira.

Mas me diga você? Prefere qualidade visual ou maior fluidez em quadros por segundo? Conte para a gente as suas preferências aqui nos comentários.

Comentários

Comentários