Com a existência de diversos dispositivos que se conectam à internet simultaneamente, tais como smartphones, tablets, notebooks, computadores e videogames, se faz necessária a escolha de um roteador que consiga distribuir o sinal de maneira eficiente.

E com tantos modelos disponíveis no mercado, é bom se atentar a algumas diferenças que podem beneficiar a eficiência do sinal propagado.

Quantidade de equipamentos

A primeira coisa que devemos nos atentar, é a capacidade máxima de conexões simultâneas o roteador suporta.

Geralmente, a maioria dos roteadores já atende uma demanda para uso doméstico. Mas caso o uso seja corporativo, é importante observar esta especificação.

Padrões suportados

Você já deve ter lido nas especificações de um roteador, algo como 802.11b/g/n/ac.

Estes são os padrões que indicam a taxa de transferência máxima de dados, medida em Mbps, dentro da rede a ser configurada para o roteador.

Os padrões mais atuais como “g”, “n” e “ac” são capazes de transferir até 1.300Mbps. Padrões mais antigos são mais lentos.

Quantidade de antenas

Todo roteador possui ao menos uma antena, seja ela externa ou interna.

Porém existem modelos com duas, três e até mesmo 8 antenas disponíveis no mercado.

Estas antenas múltiplas existem não somente para aumentar a intensidade do sinal, como também para permitir mais de uma frequência de operação simultânea, no roteador.

Aparelhos equipados com tecnologia MIMO (Multiple Input / Output) são capazes de captar o sinal de múltiplas antenas e irão se beneficiar bastante de roteadores com mais de uma antena.

Frequências

A grande maioria dos roteadores operam na frequência de 2,5GHz com suporte a até 16 canais por roteador. A definição de canais ajuda a evitar interferência de outros aparelhos operando na mesma frequência.

Porém, existem roteadores que operam em duas frequências (2,4GHz, 5GHz) que evitam de maneira mais eficiente uma eventual interferência no sinal.

Segurança

O antigo padrão de segurança WEP pode ser bastante vulnerável e já está até em desuso.

Padrões mais recentes e complexos como WPA, WPA2 e suas variantes serão muito bem vindos caso você tenha a intenção de proteger sua rede de acesso não autorizado ou invasões.

Comentários

Comentários