Você já ouviu falar em gamificação do ensino? À primeira vista, pode parecer um termo engraçado, mas trata-se de algo que tem revolucionado o método de aprendizagem para alunos de todas as idades, especialmente na educação infantil e em período de alfabetização, em que a ludicidade se mostra como algo imprescindível para o aprendizado.

Quer conhecer mais sobre esse assunto? Então acompanhe o post!

Entenda o que é gamificação

Antes de tudo, é importante entender o que é gamificação: um termo que denota a ideia de engajamento das pessoas por meio da utilização de métodos e dinâmicas dos jogos. O objetivo de aplicar a gamificação em escolas é melhorar o aprendizado e motivar a dedicação aos estudos, além de incentivar melhores práticas de comportamento do indivíduo, como o trabalho em equipe.

Experiências que ratificam o processo de gamificação do ensino

Você não precisa sair da sua realidade para compreender a importância que a gamificação do ensino tem para o processo de engajamento e aprendizado dos alunos — basta observar sua própria vida e o convívio com as outras pessoas.

Quando o assunto é entretenimento, nós amamos disputar partidas de vídeo-game com os amigos, jogar cartas ou dominó, certo? E tudo para termos um ambiente mais descontraído, onde haja verdadeiro engajamento.

Se acontece assim com os adultos, por que não aconteceria também com as crianças?

O rompimento com a educação tradicional

O exercício da gamificação vem ganhando força nas escolas devido ao desejo de melhorar as práticas pedagógicas, que antes eram resumidas a um modelo de educação tradicional que vinha se mostrando cada vez mais desatualizado e ineficaz para a geração mais nova.

A criança, construtora do seu próprio aprendizado, tem no jogo uma oportunidade de se ver desafiada e de sentir o gosto de vencer esse desafio. O professor, mediador entre essa criança e o conhecimento, deve auxiliá-la nesse processo e ajudá-la a abstrair o seu melhor.

O papel da gamificação no processo de aprendizagem é quebrar a monotonia da educação tradicional, dando espaço para a dinamicidade da educação inovadora.

O caso de Minecraft

Minecraft é um jogo que permite a criação de estruturas em ambiente virtual. Sua versão educativa foi lançada em 2011 e, desde então, ele tem sido muito utilizado nos ambientes escolares como forma de desenvolver o raciocínio lógico e a capacidade de elaboração de estratégia dos alunos, além de outras habilidades básicas.

O jogo consiste em uma plataforma aberta, que permite a construção de diferentes cenários — uma espécie de lego virtual. Os alunos podem, por exemplo, construir uma vila medieval no Minecraft depois de estudar este período na aula de história, para fixar os conceitos aprendidos.

Escolas que usaram a plataforma apresentaram resultados satisfatórios, além de relatarem que os ambientes educacionais tornaram-se mais descontraídos e alegres.

A implantação da gamificação nas escolas

Um questionamento que as pessoas normalmente fazem é sobre a necessidade do uso da tecnologia para a implantação da gamificação nas escolas. Embora seja bastante interessante que sejam utilizados recursos tecnológicos, eles não são indispensáveis para esse processo.

A implantação dessa metodologia de ensino nas escolas pode ser feita com o uso de jogos normais, que possam ser colocados sobre uma mesa para instigar os alunos. Algumas opções interessantes são: lego, batalha naval, resta um, jogo da memória e todos os que de alguma maneira motivem o aluno a pensar e buscar soluções para problemas práticos.

Pode também ser feita por meio da utilização de recursos como o cantinho da leitura, desde que na sequência seja solicitado ao aluno que demonstre de maneira inteligente aquilo que aprendeu com o que leu (escrever, gravar um vídeo, fazer mímica, um teatro de fantoche etc.).

As possibilidades são muitas, basta somente se debruçar sobre elas e optar pela que  se adéqua de forma satisfatória à sua situação.

Gostou dessa postagem? Então deixe um comentário contanto a sua opinião sobre o processo de gamificação do ensino!

Comentários

Comentários