Na informática, já é lugar-comum o jargão de que “o processador é o cérebro de um computador”. Essa é a razão de muitos usuários associarem qualquer lentidão no desempenho da máquina com esse componente. Entretanto, na realidade, o problema pode estar em outra parte do hardware: a memória RAM.

Leia este post, saiba mais sobre o tema e aprenda 3 dicas práticas para melhorar o desempenho do seu PC!

Por que a memória RAM é importante?

A memória RAM é a parte do computador responsável por armazenar temporariamente dados que são acessados com frequência, como programas em execução. Ela é bem mais rápida que outros dispositivos.

A falta de capacidade da memória RAM faz com que o processador precise buscar informações que deveriam estar nela em outras unidades de armazenamento. Essa busca pelo dado necessário é muito mais lenta e dificulta o uso do computador

É como se, em vez de comprarmos um produto na loja que fica na esquina de casa, tivéssemos de ir até a fábrica, que fica fora da cidade. No fim das contas, compramos o que precisamos, mas o processo demora muito mais.

Como otimizar o desempenho?

Agora você já sabe qual o problema de ter pouca memória RAM disponível. Reunimos aqui três dicas para contornar esse problema e melhorar o desempenho do seu computador.

1. Recorra ao Windows ReadyBoost

O Windows ReadyBoost é um recurso que usa o espaço livre de um pendrive (ou de outra unidade removível USB) para acelerar o sistema. Obviamente, ele não é tão eficaz quanto expandir a memória RAM do computador, mas pode chegar perto de dobrar a velocidade de processamento dos aplicativos em máquinas com pouca memória RAM disponível.

Atenção: a Microsoft desativa o ReadyBoost em computadores com SSDs. Entretanto, para ativar, basta colocar o pendrive na máquina e acessar a área referente ao recurso em “Propriedades”. Lá, você poderá facilmente configurar a ferramenta e determinar o quanto do espaço do pendrive poderá ser utilizado por ele.

2. Monitore o Gerenciador de Tarefas

Todo mundo que já teve de trabalhar em um Windows conhece o atalho Ctrl-Alt-Del. Ele dá acesso a Gerenciador de Tarefas do Sistema.

Geralmente, usamos esse recurso apenas em última instância, quando a máquina já não consegue processar dados e começa a travar. Contudo, ele é um ótimo meio de visualizar tudo que está em processamento e o quanto de memória está sendo consumida.

Ordene sempre a listagem de processos pelo nível de consumo de memória — assim, você consegue monitorar quem são os responsáveis por ocupar o espaço da RAM. Esta é uma forma simples de identificar os vilões, saber quais aplicativos evitar e procurar soluções. Diagnosticar é sempre o primeiro passo de qualquer tratamento!

Se quiser um recurso mais avançado, vá até a guia “Desempenho” do Gerenciador de Tarefas e acesse o Monitor de Recursos. Lá você terá uma visualização ampla do comportamento de todo o sistema. Ao escolher “Memória” dentro da guia “Monitor” você terá acesso em tempo real de ao status de consumo dos recursos e a quantidade de memória RAM disponível.

3. Faça uma limpeza de software

A limpeza faz parte de qualquer rotina de manutenção, seja de uma residência ou de um computador. Realizar “faxinas” regularmente no sistema é a melhor forma de garantir o melhor desempenho possível da memória RAM.

Como diz a velha piada, muitas vezes o problema está entre a cadeira e o computador. O usuário pode causar a lentidão no processamento devido ao consumo excessivo de memória por aplicativos de utilidade ou procedência duvidosas, que ficam configurados para iniciar junto com o sistema operacional.

Para solucionar este problema, desative tudo que não for necessário — no Windows 10, o próprio Gerenciador de Tarefas permite fazer isso — e mantenha o controle sobre o que é instalado nas máquinas.

Essas são algumas dicas para conseguir otimizar o desempenho da memória RAM. Mas vale ressaltar que são todas medidas emergenciais, que ajudam a melhorar a situação mas não resolvem o problema em definitivo. A solução mais eficiente ainda é aumentar a capacidade de processamento com a compra de memórias mais eficientes.

Gostou das dicas? Compartilhe este post nas redes sociais!

Comentários

Comentários