Reuniões de negócios, apresentações acadêmicas e exibições de eventos esportivos em bares e restaurantes são aplicações bastante comuns para projetores. E certamente, em algum momento você já desejou ter uma “telona” em casa ou no trabalho. Certo?

Mas antes de comprar seu projetor, precisa conhecer 10 fatos que que te ajudarão a fazer uma boa escolha, acompanhe:

1 – Aplicações

É importante antes de tudo, saber qual a aplicação será dada para o projetor. Pode ser que sua intenção seja ligar seu notebook/computador, seu player de Blu-ray para ver filmes ou até mesmo seu videogame para desfrutar dos melhores jogos. Todos estes aparelhos costumam possuir uma saída de vídeo.

Alguns dispositivos móveis como smartphones, tablets, pendrives e cartões SD também podem ser conectados a um projetor, desde que possuam tal funcionalidade.

Portanto, certifique-se que seu dispositivo possua uma saída de vídeo que possa ser compatível com o projetor pretendido.

2 – Conexões

Definidos os aparelhos que a serem ligados, observe qual o tipo de conexão será compatível entre eles e o projetor.

Os projetores disponíveis no mercado possuem diversos tipos de conexões, tais como VGA (D-Sub), HDMI, Vídeo Composto, Vídeo Componente, S-Vídeo, DisplayPort, USB, etc.

O D-Sub ou VGA são bastante conhecidos por estarem presente na maioria absoluta dos projetores. O conector é bem fácil de identificar, compostos por três fileiras de cinco pinos. São ideais para transmissão de sinal analógico e se você pretende utilizar por um monitor.

Porém, a melhor conexão analógica é Vídeo Componente. Essa conexão é capaz de projetar seu conteúdo com até 1080 pixels. Essa conexão é feita com 3 cabos RCA e geralmente identificados nos aparelhos como “Component”.

Já a conexão HDMI apresenta a saída de vídeo digital, com áudio composto e atualmente é a conexão que oferece a melhor qualidade de imagem, além de aceitar resoluções maiores que 1080 pixels. Ideal se você quer conectar o notebook.

O grande concorrendo do HDMI é a conexão DisplayPort, apresentando um padrão digital capaz de projetar em resoluções máximas de 2560×1600 pixels para cabos de até 3 metros. Contudo, já existem projetos para ampliar tal compatibilidade, chegando à qualidade 4K (3840×2160 pixels).

O vídeo composto, também conhecido como cabo de áudio e vídeo, é um tipo de ligação comum. Geralmente transmite no máximo 480 pixels e utiliza apenas um conector RCA.

3 – Distância de projeção

O tamanho máximo da projeção é apresentado em polegadas pela maioria dos fabricantes.

A exemplo, uma exibição de 60 polegadas, necessita que o projetor esteja no mínimo a 1 metro e 8 centímetros de distância da parede.

É importante lembrar também que quanto mais distante você posicionar o seu projetor, menor será a luminosidade.

Uma boa dica é dividir a distância entre a tela e o local onde ficarão os ouvintes mais distantes por 7. Este número será a dimensão vertical que sua tela precisará ter.

Verifique nas especificações do projetor, o tamanho máximo da projeção e a distância necessária para ter um bom resultado.

 4 – Áudio integrado

Alguns projetores possuem caixas de som integradas, dispensando o uso de outras fontes de som.

A potência destas caixas de som é apresentada em Watts (RMS). Quanto maior o valor em watts, mais potente será o som.

Além de caixas de som integradas, os projetores possuem as conexões de entrada de áudio, tais como p/2 de 3.5mm, RCA ou até mesmo entradas ópticas do tipo S/PDIF.

Se você considera não precisar transportar uma fonte de áudio separada ou mesmo quer um ganho no volume máximo, é bom ficar atento a este detalhe.

5 – Resolução dos aparelhos

Como o projetor permite vários tipos de aparelhos conectados a ele, a resolução é uma parte importante a ser entendida. Quanto maior for a resolução, melhor será a imagem a ser exibida. De nada adianta uma apresentação em tela grande se as pessoas não conseguirão ver ou ler as imagens e textos a serem exibidas.

Por exemplo, se você for apresentar a tela de seu computador em resolução Full HD, que geralmente possui 1.920 x 1.080 pixel, em um projetor que tem resolução nativa de 800 x 600 pixels, provavelmente ninguém conseguirá ler o que está sendo exibido, forçando você a diminuir a resolução do computador para a resolução suportada pelo projetor.

6 – Resolução do projetor

Os projetores de cristal líquido e de outras tecnologias transmissivas e reflexivas, são construídos com painéis semelhantes às telas de notebooks. A diferença fica por conta do uso de espelhos e lentes para aumentar a imagem a ser projetada na parede

Os projetores usam micro displays internos, que têm uma matriz fixa de pixels. A essa matriz dá-se o nome de resolução nativa. Como vem de um componente físico, não pode ser alterada.

A resolução nativa representa o total de pixels real que o projetor é capaz de exibir. É essa a qualidade de imagem que o aparelho entrega efetivamente, independentemente do valor descrito na resolução máxima suportada.

A resolução nativa sempre será a melhor e mais nítida disponível no projetor. Portanto, dependendo da resolução dos aparelhos e principalmente da imagem que deseja exibir, será importante observar a resolução máxima suportada pelo seu projetor.

7 – Luminosidade

A unidade de medida utilizada pelas fabricantes para definir a luminosidade de um projetor é o “lúmen”.

O local onde você pretende ou, eventualmente precisará instalar seu projetor, nem sempre é absolutamente escuro como as salas de cinema. Quando o ambiente não é absolutamente escuro, a projeção fica fraca e translúcida, dificultando uma boa qualidade da projeção.

Por esta razão, um projetor com mais luminosidade é capaz de exibir uma imagem mais forte em ambientes abertos ou mais claros.

Tenha em mente que quanto maior o valor em “lúmens” do projetor, menos você precisará se preocupar com ambientes claros.

8 – Contraste

Ao contrário da luminosidade, o contraste lida com a exibição de tons escuros na exibição.

O preto e demais tons de cores escuras ficam mais nítidos e realistas quando o projetor possui uma boa taxa de contraste.

Taxas comuns vão de 100:1 nos projetores de menor contraste a 400:1 nos projetores com maiores taxas de contraste.

Quanto maior a taxa de contraste, menos as cores claras causarão influência nos contornos das cores escuras a serem projetadas, incluindo a incidência da luz ambiente.

9 – Suporte para instalação

Se você deseja montar uma sala de projeção, é importante que o projetor possua suporte para instalação no teto.

Apesar de praticamente todos os projetores permitirem a instalação sob uma mesa, é importante também observar os ângulos de inclinação ajustáveis na base do mesmo.
Até porque, não há nada pior do que precisar empilhar livros debaixo do projetor para conseguir o ângulo correto para sua projeção.

10 – Novas tecnologias

Por fim, observe a compatibilidade com novas tecnologias, como por exemplo a conexão sem fios com dispositivos móveis via Bluetooth, WiFi ou DLNA.

Observe a presença ou não de um Display LCD para navegação nos arquivos armazenados em pendrives, câmeras, HD externos e cartões SD sem a necessidade de um computador.

Não se esqueça também dos acessórios como controles remotos e lentes para projeção.

Uma linha completa de projetores para todas as necessidades você encontra na WAZ.
Então acesse: www.waz.com.br

 

Comentários

Comentários